A Evolução da Escrita Fenícia no Latim Moderno e no Árabe



A origem da escrita árabe remonta a um alfabeto criado pelos fenícios que viviam na área costeira do Líbano, Palestina e Síria. Como os fenícios eram comerciantes navegando pelo Mediterrâneo, o alfabeto influenciou todas as regiões do Mediterrâneo.

A escrita fenícia evoluiu em várias direções, com um ramo se desenvolvendo em grego e depois o alfabeto latino moderno. O outro evoluiu para o aramaico, que se ramificou de novo para o hebraico moderno e o nabateu. Vários sistemas de escrita, incluindo a escrita árabe, todos derivam do nabateu, que estava em uso desde o século II aC, no que é hoje a Jordânia.


Desenvolvimento do Script Árabe ao longo do tempo

Você perceberá que o árabe antigo não contém nenhum ponto (1), enquanto o árabe moderno sim. Esses pontos foram uma adição posterior ao alfabeto árabe para ajudar as multidões de aprendizes árabes que eram incapazes de diferenciar entre os diferentes sons (o árabe antigo tinha 15 formas de letras distintas para 28 sons).

Mais tarde ainda, foram introduzidos os sinais vocálicos e o Hamza (2), começando em algum momento da segunda metade do século VII. Inicialmente, isso foi feito por um sistema de pontos vermelhos que teriam sido encomendados por um governante omíada do Iraque. No entanto, isso foi facilmente confundido com os pontos que distinguem letras (3), então, 100 anos depois, o sistema moderno foi adotado (4).